Do estrutural ao emergencial, Casa Fluminense lança a 4º edição da Agenda Rio

Texto por
Luize Sampaio
Data
25 de setembro de 2020

Fruto de uma série de encontros e entrevistas, a Agenda Rio 2030 foi lançada nesta quarta-feira (24/09) durante um evento online que foi transmitido nas redes da Casa e organizações parceiras. A publicação traz uma série de propostas de políticas públicas para a Região Metropolitana do Rio, que são baseadas no diagnóstico apresentado pelo Mapa da Desigualdade 2020. Um das novidades deste ano é que todas as ações pautadas na Agenda são atravessadas por 4 valores essenciais que buscam garantir um Rio mais justo para todos. A pesquisadora da Casa fluminense, Thábara Garcia, explicou como esses valores influenciaram a produção da Agenda neste ano. 

“Entendemos que não é mais possível falar de enfrentamento das desigualdades sem pautar o racismo, machismo, as divisões de classe e a degradação ambiental. Essa é uma forma de marcar na Agenda, especificamente, quais são as desigualdades que marcam diariamente a vida das pessoas”, afirmou Thábara. 

A publicação é dividida em 10 eixos temáticos: habitação, emprego, transporte, segurança, saneamento, saúde, educação, cultura, assistência social e gestão pública. Em cada um deles foram produzidos 10 propostas baseadas nas pesquisas e entrevistas que foram realizadas durante todo esse ano, junto a pesquisadores, lideranças locais e organizações parceiras ligadas aos temas priorizados.

Para somar nesse lançamento, foram convidados representantes de outras publicações propositivas da sociedade civil como a Fabiana Pinto, do Instituto Marielle Franco pela Agenda Marielle Franco; Luis Valverde, do Instituto de Arquitetos do Brasil-RJ pela Carta-Manifesto “A Cidade que Queremos”; e a Cíntya Feitosa, do Instituto Clima e Sociedade pela Agenda Mínima de Clima para Governos Locais. O grupo de reuniu virtualmente para o debate “Visões e Propostas Coletivas para Justiça Social nas Eleições Municipais”. 

Apesar de ter foco no futuro, o coordenador executivo da Casa, Henrique Silveira, afirmou durante o debate que a agenda traz ações que podem ser logo aplicadas para garantir uma cidade mais justa no presente. Ele comentou também sobre um dos principais objetivos da agenda, que é incidir no processo eleitoral. 

“Queremos ver todas essas propostas se desdobrando nos próximos governos a partir dos seus planos de metas, que a gente defende que todas a cidades precisam  ter. As ações da Agenda não podem ficar só no discurso eleitoral e nas redes sociais, elas precisam se materializar em ações públicas que ocorram de forma coletiva com a sociedade civil”, reiterou Silveira.

Foi dessa necessidade de garantir que as pautas não fiquem apenas nas promessas de campanha que surgiu a Agenda Marielle Franco. A assistente de pesquisa do Instituto Marielle Franco, Fabiana Pinto, explicou a importância simbólica das eleições deste ano e que comprometimentos são esperados pelo Instituto.

“Nossa principal motivação para criar a agenda agora é que a eleição de 2020 vai ser a primeira [municipal] após o assassinato da Marielle, um caso ainda sem respostas. Queremos que os candidatos e eleitores se comprometam com o legado dela não só no discurso, mas também nos planos e conjuntos de práticas”, resumiu Fabiana. 

Para garantir que a Agenda Rio 2030 e pautas defendidas nela cheguem até os futuros prefeitos e prefeitas, a Casa Fluminense está organizando uma série de encontros com alguns pré-candidaturas ao cargo. Em outubro, o conteúdo da nova publicação vai servir como base para essas conversas entre representantes da sociedade civil e algumas candidaturas a prefeitura do Rio. Essa série de reuniões é mais um marco do projeto Giro 2020, realizado em parceria com a Fundação Cidadania Inteligente.

Outro passo importante deste momento pós-lançamento foi relembrado pelo coordenador de informação da Casa, Vitor Mihessen. 

“Depois desse momento de diálogo e encontros, no ano que vem, vamos passar a monitorar de que forma as pautas priorizadas na Agenda estão sendo desenvolvidas pelos candidatos eleitos”, concluiu Vitor. 

A Agenda Rio 2030 já está disponível, acesse aqui

Conheça também a Agenda Marielle Franco, do Instituto Marielle Franco, e a Carta-Manifesto “A Cidade que Queremos”, produzida pelo Instituto de Arquitetos do Brasil-RJ. E, fiquem atentos porque nos próximos dias o Instituto Clima e Sociedade vai divulgar a Agenda Mínima de Clima para Governos Locais. 

Outras Notícias

Download - Mapa da desigualdade

* campos obrigatórios
Curabitur venenatis, ut justo ut libero dictum