Agenda Rio nas eleições: Rodrigo Neves aposta em plano emergencial para o Rio

Categorias
Texto por
Luize Sampaio
Data
25 de agosto de 2022

O primeiro encontro “Agendas para o Rio: compromisso para candidaturas em 2022” foi realizado nesta quarta-feira (24/08), um debate entre a sociedade civil organizada e o candidato ao governo, Rodrigo Neves (PDT). O encontro é uma parceria entre a Casa Fluminense, Instituto Marielle Franco e a Ação Cidadania, organizações que estão construindo agendas programáticas para estas eleições. 

Rodrigo Neves é ex-prefeito da cidade de Niterói, além do cargo no executivo municipal, o candidato também já esteve como deputado estadual e secretário estadual de Assistência Social, no governo de Sérgio Cabral. Durante o debate, o candidato falou de recuperar os espaços de participação social, integração entre prefeituras em conselhos e transparência na gestão. Entre as principais promessas de campanhas anunciadas estão a criação da linha 3 do metrô, criação da renda básica estadual e geração de 150 mil postos de trabalhos nos primeiros meses de governo.

“Esse é nosso plano emergencial, uma estratégia de reconstrução do Rio. O estado tem recurso para fazer isso, o que falta é decisão política”, reforçou Neves.

Rodrigo Neves foi o primeiro candidato ao governo a participar do Agendas para o Rio. Foto: Mayara Donaria

Analisamos as propostas do candidato, 11 estão alinhadas com as pautas da Agenda Rio 2030 . Confira: 

JUSTIÇA ECONÔMICA

A1.  Aumentar  a efetividade  e cobertura  das políticas  de transferência  de renda

“Vamos criar um programa de renda básica estadual no valor de 500 reais. Meu compromisso principal é que para que a partir de janeiro de 2023, nenhum fluminense passe mais fome.”

A3.  Investir em  infraestrutura  urbana verde  e geração de  empregos na  construção civil 

“O Rio de Janeiro foi o estado que mais perdeu emprego e renda nos últimos cinco anos.  Nossa proposta é priorizar um plano emergencial com a criação de frentes de trabalho, logo no primeiro ano de governo. Nós estruturamos um plano para gerar 150 mil  postos de trabalho com obras para recuperar escolas, hospitais e estruturas de saneamento que hoje estão abandonados.” 

A5.  Estabelecer  políticas  de complexos produtivos

“Temos uma ideia de plano de desenvolvimento de médio e longo prazo para aquilo que ainda é a potência do rio, os complexos industriais de óleo e gás, de defesa, serviços de saúde e a indústria da economia criativa.”

A7.  Fortalecer  a economia da cultura

“A mesma convicção que tenho com a educação tenho com a cultura. Ela transforma as pessoas e as comunidades, é fundamental para a memória e identidade mas também muito importante para o desenvolvimento econômico. Em especial para o estado do Rio, temos uma potencial extraordinária. Por isso é importante também descentralizar os equipamentos culturais nos territórios. Para mudar essa realidade nossa ideia é já no primeiro ano de governo dobrar o investimento em cultura.” 

A11.  Aumentar a  transparência  na administração pública

“Vivemos uma crise de confiança nas instituições, portanto temos que trabalhar com o conceito de governo aberto, que garante acesso às informações do orçamento e da execução dele. Isso é dar cidadania aos cidadãos.”

A12.  Fortalecer  a Câmara  Metropolitana  para planejar  e coordenar  políticas públicas

“O Instituto Rio Metrópole terá um papel estratégico, acredito que o problema do Rio é um problema de gestão metropolitana, em sua maioria. Vou dar um outro caráter ao órgão da metrópole, para a gente criar ações coordenadas para políticas públicas de habitação popular, transporte público e gestão de resíduos, por exemplo.”

JUSTIÇA RACIAL

B1.  Criar programa de redução de mortes violentas e revisar o Plano Estadual de Redução de Letalidade 

“A segurança pública é o campo de maior desafio nessa reconstrução do estado do Rio, não vai ser fácil devolver minimamente a tranquilidade ao cidadão do Rio. Nosso plano passa necessariamente por um investimento em inteligência, qualificação das polícias e uma forte agenda de prevenção com foco na juventude das comunidades. Precisamos de uma Secretaria Estadual de Segurança com centros integrados com as guardas municipais e  as prefeituras , o estado não pode ser ausente. ”

B2.  Garantir direitos e oportunidades para a juventude negra em favelas e periferias 

“O Rio tem as maiores taxas de informalidade do país, boa parte desses trabalhadores são jovens da periferia. Por isso, nosso objetivo é criar frentes de trabalho em uma espécie de ‘new deal ecológico’ que tem como objetivo recuperar escolas e hospitais abandonados e outra frente é reestruturar a companhia estadual de habitação para construir casas populares. Meu objetivo é construir 100 mil nos dois primeiros anos de gestão. Esse programa vai gerar 150 mil novos postos de trabalho. Para que isso vire oportunidade direta para a juventude eu vou dobrar o investimento no ensino técnico profissionalizantes.” 

B12.  Garantir projetos  que promovam  maior equidade  na política

“Quando fui prefeito de Niterói, 80% do orçamento da cidade era gerido por Secretarias chefiadas por mulheres, isso é uma sinalização do que queremos construir. A partir de janeiro de 2023, pelo menos 50% do primeiro escalão de secretários serão mulheres.” 

JUSTIÇA CLIMÁTICA 

D1.  Estruturar  política  de habitação de interesse  social

“Habitação não é um problema individual das famílias, é uma política de estado. Vamos construir 100 mil casas populares e contratar 150 mil trabalhadores para a construção civil dessa política, que vamos fazer em parceria com as cidades começando onde tem a maior crise, que é a região metropolitana. Sei que tem recurso pra fazer isso assim, como tem para fazer a renda básica, falta volta politica.”

D.5 • Requalificar e expandir as redes de ônibus, BRT, barcas, VLT e metrô

“A nossa ação na área de transporte primeiro é um choque de gestão no sistema, voltando com o trem expresso, fazer o controle do território e gestão da segurança nas estações da Supervia, implantar a bilhetagem eletrônica para garantir transparência isso tudo para garantir rapidamente a melhora da qualidade para os passageiros. Vou tirar do papel projetos que já estavam previstos no Plano Diretor de Transporte como: a ligação por trilhos da estação da Pavuna até Santa Rita, em Nova Iguaçu e também a Linha 3 do metrô, ligando o Leste Fluminense à cidade do Rio de Janeiro sob a Baía de Guanabara.” 

Candidato e representantes das agendas temáticas que participaram do debate. Foto: Mayara Donaria

Na próxima quarta-feira (31/08), o encontro vai receber o também candidato ao governo do Rio, Marcelo Freixo, às 10h, na sede do Ação Cidadania. O debate será transmitido pelo canal do youtube do Instituto Marielle também pelo facebook da Casa. É possível assistir a sabatina do Rodrigo Neves pela redes também.

Confira o plano de governo completo do candidato Rodrigo Neves. 

Outras Notícias

Download - Mapa da desigualdade

* campos obrigatórios
luctus amet, dolor. in lectus elementum quis dapibus leo dolor Aliquam