De olho na Agenda Rio 2030: analisamos quais propostas da candidata Renata Souza estão alinhadas com a publicação

Categorias
Texto por
Luize Sampaio
Data
15 de outubro de 2020

A deputada estadual e candidata à prefeitura do Rio, Renata Souza (PSOL), foi a segunda convidada da série Encontro com Prefeitáveis organizado pela iniciativa Giro 2020. O debate aberto entre a sociedade civil e os candidatos da cidade do Rio de Janeiro é produzido através de uma parceria entre a Casa Fluminense e a Fundação Cidadania Inteligente e mais 20 organizações sociais cariocas

Renata Souza (PSOL) foi a segunda candidata à prefeitura do Rio de Janeiro a participar do debate.
Renata Souza (PSOL) foi a segunda candidata à prefeitura do Rio de Janeiro a participar do debate. Foto: Mayara Donaria

No evento, com transmissão online, foram pautados temas como saneamento básico, juventude, educação, desigualdade social e participação popular. A partir das respostas da candidata, analisamos quais propostas apresentadas estavam alinhadas com as ideias da Agenda Rio 2030.  Confira abaixo: 

1-Realizar campanhas de sensibilização para a anemia falciforme  

“Essa é uma doença que acomete predominantemente a população negra e que pode ser detectada já no teste do pezinho. Não realizar esse diagnóstico é uma violência obstétrica com essa mãe preta e seu filho. Esse tem que ser um tema central para se pensar em uma contrução de cidade antirracista. Vidas negras importam e não abriremos mão delas.”  

2- Estruturar política de habitação de interesse social nas áreas centrais dos municípios 

“A gente quer construir o porto moradia com 50 mil habitações. Entendemos que a zona portuária tem que ser uma área de habitação central por estar próximo às ofertas de emprego. Isso vai ajudar a gente superar essa lógica de desagregação que vivemos. ” 

3- Mapear estoque de imóveis e prédios públicos vagos

“A nossa gestão vai mapear esses imóveis abandonados ou entregues à especulação imobiliária. Olhando para a região central do Rio, área que tem mais imóveis vazios — que se não são usados como moradia popular — perderam a sua função social.”

4- Aumentar a efetividade das políticas de transferência de renda 

“A garantia da renda básica carioca de meio salário mínimo para as 200 mil famílias mais pobres da cidade é um assunto central. A cada real que investimos nela temos um retorno concreto de meio real para a economia da cidade e bairro.”

5- Ofertar educação em tempo integral 

“Na nossa proposta de educação integral, diferente de horário integral de hoje que joga a criança lá dentro da escola o dia inteiro, no caso do Rio até as 14h, e finge que ela está recebendo algum tipo de conteúdo pedagógico. Não, o que a gente quer é educação integral integrado com a cultura.”

6 – Democratizar o acesso aos bens culturais das cidades

“A Secretaria de Cultura tem que promover o debate sobre a elaboração de um plano municipal para o setor, incluindo os profissionais da área que estão exercendo seu trabalho apesar da prefeitura não apoiar.  Queremos incentivar um fundo municipal de cultura com a participação social pensando muito na potência da nossa juventude.”

7- Manter a CEDAE como empresa pública responsável pela água e esgoto

“Sou completamente contra a possibilidade de que qualquer direito fundamental da humanidade se torne mercadoria. Acesso à água e tratamento de esgoto é um direito e nós vamos defender que fique assim. ”

8 -Estruturar os contratos das linhas de ônibus municipais 

“A mobilidade urbana do Rio foi colocado nas mãos das máfias. Precisamos rever todos esses contratos e concessões, revisando inclusive as tarifas.”

9 – Reduzir as tarifas do transporte público, controlando as margens de lucro 

“Vamos iniciar a tarifa zero pelo BRT a partir da zona oeste. Hoje a operação custa cerca de 350 milhões de reais ao ano, um valor que representa menos de 2% do orçamento da prefeitura. O município pode então arcar com esse valor, cobrando multas mais caras e garantindo que a população não tenha que gastar 20% da sua renda familiar com transporte. Queremos tarifa zero para tudo, mas isso é uma análise que faremos com muito cuidado.” 

10 – Aprimorar políticas tributárias e sistemas de arrecadação

“Temos um projeto de IPTU progressivo, quem tem imóveis valendo mais de 2 milhões vai pagar mais caro. Isso é justiça tributária e vai ser uma das nossas molas de arrecadação para corrigir o cofre da prefeitura.”

11- Ampliar número de vagas em creches públicas e expandir horário das atividades

“Hoje nós temos um déficit de cerca de 36 mil vagas nas creches. São dados da Defensoria Pública. Vamos fazer o FunCreche, um fundo municipal para a gente criar mais creches e acabar com essa falta de vagas. ”

O debate completo com Renata Souza já está disponível no facebook da Casa Fluminense e pelo youtube. Na próxima quinta-feira, dia 22 de outubro, às 10h30, acontece o terceiro encontro com prefeitáveis com o ex-prefeito e candidato Eduardo Paes (DEM). Confirme a sua presença

Quem convoca os encontros?

Casa Fluminense, Fundação Cidadania Inteligente, Ação da Cidadania, Agência de Redes para a Juventude, Arteiros, Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESeC), Casa Dona Amélia, Centro de Criação de Imagem Popular (CECIP), Circo Crescer e Viver, Coletivo Papo Reto, DataLabe, Centro Cultural Phabrika de Artes, Instituto Alziras, Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Instituto de Estudos da Religião (ISER), Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), Instituto Mariele Franco, Mulheres Negras Decidem, Observatório de Favelas, Peneira, Projeto Manivela, Redes da Maré, Ser Cidadão e Santa Cruz 2030.

Outras Notícias

Download - Mapa da desigualdade

* campos obrigatórios
sit id quis, ipsum Nullam Sed vulputate, accumsan dolor. Donec pulvinar