Não Foi Em Vão desembarca em Coelho da Rocha no dia da Consciência Negra

Categorias
Texto por
Larissa Amorim
Data
6 de novembro de 2019

Na data em que todo um país celebra o dia da Consciência Negra, 20 de novembro, será realizado o lançamento do livro “Não foi em vão: mobilidade, desigualdade e segurança nos trens metropolitanos” em uma das regiões mais pretas do estado do Rio de Janeiro. A publicação que traz a consolidação da pesquisa iniciada em maio de 2017 sobre mortes por atropelamento nos trens da Supervia, desembarca em Coelho da Rocha, São João de Meriti, Baixada Fluminense, e foi organizada pela Casa Fluminense com o apoio da Fundação Heinrich Böll Brasil.

Foi no bairro de Coelho da Rocha que Joana Bonifácio nasceu, viveu e teve sua vida retirada pela negligência, precariedade e insegurança do serviço de transporte ferroviário concessionado pelo Estado. Sua morte e memória moveu a escrita dos autores Rafaela Albergaria, Vitor Mihessen e João Pedro Martins a compartilhar o processo de pesquisa sobre mortes e acidentes nos trens metropolitanos. A pesquisa tem como marco o debate das desigualdades raciais e territorial na definição das políticas de mobilidade urbana através de levantamento de dados, da articulação de atores da sociedade civil e da provocação do engajamento de órgãos de fiscalização, monitoramento e regulação.

“A história da Joana demonstra como as estruturas e permanências desiguais são impostas nas e pelas políticas de mobilidade, especialmente nos territórios periféricos, onde os serviços precários marcam a trajetória para população. Foi assim, no seu percurso de trem diário para acessar a universidade – partindo de Coelho da Rocha, bairro de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, com destino à Zona Oeste do Rio -, que Joana teve sua vida encerrada”, conta a pesquisadora Rafaela Albergaria, que é prima de Joana Bonifácio, mestre em Serviço Social e ativista em movimentos antirracistas feministas e abolicionistas penais.

O livro traz fatos e dados sobre tantos outros casos como o dela. Infelizmente, ele não é isolado e a narrativa da pesquisa mostra como os moradores das periferias metropolitanas vivem sob estado de constante risco e insegurança diante do transporte ferroviário ofertado. Uma realidade que reflete o racismo estrutural e impacto nas vida desses familiares que têm suas trajetórias afetadas para sempre.

“De 2008 a 2018 ocorreram pelo menos 368 homicídios culposos por atropelamento ferroviário nos ramais e estações de trem de passageiros do Rio de Janeiro. Há uma população jovem, negra e periférica que morre mais do que qualquer outra. É para enfrentar esse cenário de violências e violações que elencamos ao final do livro algumas propostas para a superação a sua superação”, explica Vitor Dias Mihessen, um dos autores do Não Foi Em Vão e coordenador de informação da Casa Fluminense.

Sobre a programação do lançamento em Coelho da Rocha

De 15h às 18h, na quadra do CEPRAC (Rua Florisbela – 1281), a programação do lançamento terá uma roda de conversa sobre memória, justiça e reparação negra, homenagem à família Bonifácio, cortejo com música pelas ruas de Coelho da Rocha até a praça do bairro e um sarau de poesia no encerramento. Com a presença de amigos e familiares da Joana, o lançamento será histórico para o povo negro da Baixada Fluminense.

Este 20 de novembro será sobre resistir a criminalização da vida nos territórios negros e periféricos, disputar política de memória e buscar por justiça em oposição ao racismo estrutural e a violência sistêmica que tem naturalizado a morte de corpos negros.

:: Programação do lançamento ::

Lançamento do livro Não Foi Em Vão
20 de novembro | 15h às 18h
Quadra do CEPRAC (Rua Florisbela, 1281, Coelho da Rocha)

15h – Chegada e recepção dos convidados e convidadas
15h30 – Mesa de autógrafos e distribuição de livros pela família e autores
16h – Roda de Conversa #NãoFoiEmVão – Memória, Justiça e Reparação Negra
17h10 – Entrega das placas e homenagens a família de Joana Bonifácio
17h30 – Cortejo #JoanaPresente  
17h50 –  Sarau Não Foi Em Vão na Praça de Coelho da Rocha

Confirme sua presença aqui e vamos celebrar a vida e memória de Joana Bonifácio e tantas outras mulheres negras com debate, luta e muita poesia!

Outras Notícias

neque. Praesent diam fringilla quis, tempus vel,