Eu sou um menino de 13 anos e amo transporte sobre trilhos

Categorias
Texto por
Comunicação Casa
Data
11 de outubro de 2022

Por Vitor Rodrigues*

A minha paixão por transportes foi quando eu era bem pequeno, sempre falava com os maquinistas quando eles saiam da cabine de controle e eles sempre tinham um bom humor por incrível que pareça. Quando morava na Pavuna, fazia minha mãe ficar esperando o Metrô para eu dar tchau para o condutor. Gostava de fazer isso porque isso me alegrava, não que eu não goste ainda, mas não moro mais na Pavuna e nem passo pela passarela tranquilo, tem muito assalto por lá. Gosto tanto do metrô que sei falar a chamada de todas as estações de cor e sem errar, espero ser um maquinista um dia.

Comecei a gostar de trens ferroviários em 2020, minha mãe falava das histórias de quando ela e minha avó pegavam um trem de um Ramal Auxiliar, que agora só é usado para trens de carga. Ela me contou também que tinha muitos trens antigamente, mas aí não investiram e foi tudo se acabando. Hoje tem muito poucos trens turísticos e são muito caros também. O que temos hoje no Rio de Janeiro não funciona direito, e ainda queriam aumentar o preço para R$7,00, vocês acreditam? Que absurdo, né? Porque todos os passageiros pegam esse transporte para ir trabalhar sofrem, a qualidade está das piores. Foi por isso que fiz o mapa do Metrô da Baixada.

Mais linhas na Baixada!

A qualidade dos trens da SuperVia não é nem um pouco das melhores, então eu, um menino de 13 anos, fui fazer esse mapa.  Minha irmã publicou nas redes, e quando eu cheguei da escola, tinha muitas curtidas no Twitter, fiquei super feliz! Falei com as pessoas e tinham muitas também felizes com o meu mapa, outras davam sugestões, algumas falavam mal, mas faz parte da vida, a gente aprende a lidar uma hora. 

Tenho certeza que para mudar os transportes públicos, tipo os trens da SuperVia, precisamos: reduzir os intervalos, investir mais na segurança, mais conforto pro passageiro não ficar muito tempo parado nas estações também. A gente tem que melhorar o nosso transporte, os trabalhadores deveriam ter um pouco mais de conforto.

Na minha opinião, se alguém me perguntasse qual transporte público é melhor,  falaria o metrô, pois eles tem um serviço bom. Quando minha irmã passou mal na Estação Estácio, os seguranças super ajudaram ela, e ele é rápido de uma estação pra outra, eu mesmo fico observando quando eu pego o metrô, e vejo a velocidade deles que é magnífica.

Para mim, o que faria para mudar o transporte público, é investir no que já tem, pra depois mudar para um melhor aqui no Rio. Eu simplesmente amo passear para lugares, e para isso eu tenho que usar o transporte público pra sair tipo para o Centro, acho um absurdo que não investem na Baixada Fluminense.

A maioria dos políticos querem investir mais na Zona Sul, e por isso quis fazer esse mapa para inspirar as autoridades. Quero mostrar a eles como podem investir na Baixada, que é muito esquecida. O último mapa que criei traz o metrô e o VLT para cá:

Depois da repercussão:

No dia 27 de julho, numa quarta-feira, fui na sede do Metrô Rio, localizada na Central do Brasil, foi muito bom. Eu e outros adolescentes e crianças conhecemos o auditório, a sala de controle e eles também deixaram um Metrô só pra a gente. Fomos também no Simulador do Metrô e isso foi um sonho realizado porque minha mãe sempre tentou marcar uma visita guiada para mim. Conhecemos até mesmo a voz do Metrô que se chama Zanna, ela é cantora e compositora. No dia, ela me mandou um áudio de feliz aniversário que cai dia 12/12, e fiquei muito feliz por isso TUDO.

Um tempo depois, no dia 8 de Setembro, numa quinta-feira, fui conhecer a Central de Logística, conheci o Presidente do Bondinho de Santa Teresa, e a sala dele por incrível que pareça é muito bonita, tem uns quadros do Bonde, um mapa gigantesco da SuperVia, e eu achei super bonito.

Aproveitei e dei um mapa do Bonde que eu mesmo fiz, e ele ficou muito feliz com o meu mapa. Depois disso fui para a Carioca para conhecer também o Museu do Bonde. Foi muito legal, tinha imagens mostrando a história do bonde com maquetes, ferramentas, roupas e tudo mais. Logo em seguida, fomos dar um rolê no bonde até lá em cima, foi ida e volta em Santa Teresa. O trecho que está rodando é Carioca – Dois Irmãos, tirei muitas fotos e só tenho agradecer por tudo que eles fizeram.

Depois que minha irmã postou o meu mapa e gerou aquela repercussão, a Globo entrou em contato com ela e minha mãe, e no dia 4 de setembro fui para a Estação de Metrô da Pavuna para gravar a reportagem com o repórter Rogério Coutinho. Fiquei super nervoso, mas foi muito bom, a equipe foi para a minha casa, e gravaram mais. Minha mãe depois das gravações fez uma mesa de café só para eles.

Sinceramente, tenho certeza que se eu fosse melhorar o transporte público começaria reduzindo a passagem. O trabalhador, na maioria das vezes, tira muito dinheiro do seu salário mínimo para pagar a tarifa. Acho isso um absurdo, todos nós precisamos de um transporte digno para irmos para os lugares com segurança e conforto.

* Vitor Rodrigues tem 13 anos e é morador de Tomazinho, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Vitinho é um apaixonado por transportes sobre trilhos como o metrô, trem, VLT e afins.

Outras Notícias

Download - Mapa da desigualdade

* campos obrigatórios
mattis facilisis accumsan pulvinar venenatis, leo elementum