Estações do Bike Rio oferecem, em média, uma bicicleta a cada 10 vagas

Categorias
Texto por
Saulo Pereira Guimarães
Data
14 de julho de 2017

A oferta média nas estações do Bike Rio é de uma bicicleta a cada 10 vagas. O dado é fruto de um levantamento realizado pela Casa Fluminense. De acordo com a tembici, empresa responsável pelo serviço, o vandalismo, os furtos e a demanda maior que a verificada em outras cidades são alguns dos desafios enfrentados pelo sistema no Rio.

Parque Madureira, Afonso de Taunay (perto do metrô Jardim Oceânico) e Praça XV foram os locais com a maior oferta média no período monitorado. Para cada dezena de vagas, eles ofereceram, respectivamente, 3,6, 2 e 1,5 bicicleta. Já Célio de Barros (perto do metrô Maracanã), Carioca e Saens Peña apresentaram menos de 0,3 bike a cada 10 vagas. As estações fora do ar com mais frequência foram Princesa Isabel (quatro vezes), Célio de Barros (três vezes) e Saens Peña (duas vezes). O monitoramento acompanhou 12 paradas, escolhidas em função da proximidade com pontos turísticos ou pontos de acesso aos sistemas de trem, metrô e barcas (veja lista ao fim do texto). A coleta dos dados foi feita por meio do aplicativo para celular do Bike Rio com consultas às 6h, às 12h, às 18h e às 24h entre os dias 29 de maio (segunda-feira) e 2 de junho (sexta). Segundo a operadora do sistema, menos de 30% das viagens acontecem nos fins de semana.

Em maio, a tembici comprou a Samba, concessionária do Bike Rio desde sua criação em 2011. Até setembro, a nova operadora deve assumir o controle do serviço em definitivo. Com 260 estações e 2600 bicicletas, o sistema tem cerca de 1 milhão de pessoas cadastradas e 3 mil usuários diários. Os números se refletem em uma grande demanda por manutenção que, combinada aos casos de vandalismo e furtos de bateria que deixam as estações fora do ar, resulta no quadro atual. “Até o fim do mês, 400 novas bikes serão postas em circulação”, afirma Tomas Martins, CEO da tembici. Ainda segundo ele, novas estações e mais bicicletas chegarão às ruas no segundo semestre.

Praticidade

Na opinião dos usuários, a praticidade é o principal ponto positivo do Bike Rio. Ilan Wettreich mora na Tijuca, usa as laranjinhas em pequenas viagens e destaca o preço convidativo e a possibilidade de poder pedalar sem ter de se preocupar em comprar, manter e guardar uma bicicleta. “Você só usa quando precisa e isso é ótimo”, afirma ele. Ana Luiza Carboni, de Niterói, faz o mesmo diagnóstico. “Com o Bike Rio, não preciso me preocupar em local para estacionar ou em como vou voltar para casa”, diz ela. “A função primordial do serviço é permitir o deslocamento final de quem desembarca do trem e do metrô”, pontua Carol Queiroz, da Associação Carioca pela Mobilidade Ativa (MobiRio).

Entretanto, os problemas de manutenção frequentes atrapalham o bom funcionamento do sistema. “Recentemente, ia usar o serviço para ir do Flamengo à Urca, mas a atendente me informou pelo telefone que não havia estações online nesse trecho”, comenta Ana Luiza. Outra questão é a oferta limitada de bicicletas. “Quando pedalo com minha filha, conseguir duas bikes ao mesmo tempo é quase impossível”, conta Ilan. E ainda há problemas estruturais, como a falta de mais estações no subúrbio e a má distribuição em alguns locais. “Na Barra, a implantação ficou muito restrita à orla e locais vitais, como o Terminal Alvorada, perderam suas estações”, destaca Carol.

O principal desejo dos ciclistas que usam o Bike Rio é ver a manutenção do sistema voltar ao bom padrão que já teve. Para isso, Tomas conta com uma equipe de 60 funcionários trabalhando em um galpão na Zona Portuária. De acordo com o executivo, medidas como o reposicionamento de estações estão previstas para os próximos meses e devem melhorar a qualidade do serviço. Além disso, a tembici pretende lançar um passe anual, entre outras novidades na área de usabilidade. “Apostamos muito no Rio porque acreditamos que a cidade tem um grande potencial”, afirma Tomas.

Saiba mais: Usuários reclamam que funcionamento do Bike Rio está deixando a desejar

sistema de aluguel de bicicletas foi precarizado ao longo do tempo

 

Quantas laranjinhas têm aqui?

Confira a lista de estações monitoradas, o número total de vagas e a taxa média de bicicletas em cada uma delas

154 (Central)
Total de vagas: 14
Taxa média de bicicletas oferecidas: 9%

142 (Carioca)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 2%

060 (Praça XV)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 15%

211 (J.Oceânico)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 20%

241 (NYC Center)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 6%

160 (S.Conrado)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 11%

024 (P.Madureira)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 36%

182 (S.Peña)
Total de vagas: 14
Taxa média de bicicletas oferecidas: 3%

198 (C. de Barros)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 1%

005 (P.Isabel)
Total de vagas: 14
Taxa média de bicicletas oferecidas: 7%

026 (Posto 9)
Total de vagas: 12
Taxa média de bicicletas oferecidas: 12%

012 (E.Pessoa)
Total de vagas: 14
Taxa média de bicicletas oferecidas: 4%

Saiba Mais: Bike Rio passará por recauchutagem

Agenda Rio

Conheça o projeto

Outras Notícias

ut elementum justo libero. ut nunc venenatis in Donec vel,