Um refúgio para as mulheres do Parque Paulista – Casa Cuidado

Texto por
Luize Sampaio
Data
2 de dezembro de 2022

Conforto, aprendizado, escuta, gratidão, alegria e paz foram algumas das palavras usadas pelas voluntárias da Casa Cuidado para explicar a importância do espaço nas suas vidas. A Casa Cuidado se tornou um refúgio para as mulheres moradoras do Parque Paulista, no terceiro distrito de Duque de Caxias. Criada em 2020, durante a pandemia, a iniciativa atende mulheres em sua maioria com mais de trinta anos, donas de casa e vítimas de violências doméstica e também idosas que passam ou passaram por maus tratos.

Registro durante uma das rodas de escuta “Costurando histórias, memórias e afetos”, apoiadas pelo Fundo Casa Fluminense. Foto: Mayara Donaria

Fundada pela educadora popular Cyntia Matos, a Casa Cuidado é hoje o único local da região voltado para o fortalecimento feminino. A iniciativa oferece formação sobre empreendedorismo feminino com oficinas de preço, direitos humanos, autocuidado e feminismo. 

“Elas encontram aqui um espaço em que podem falar e serem ouvidas, terem suas dores e angústias acolhidas. As atividades, como o artesanato, são um plano de fundo para que essas mulheres consigam falar”, resumiu a fundadora do projeto. 

Além do braço de acolhimento e empoderamento feminino, a Casa Cuidado também tem atividades para crianças, de 5 a 12 anos,  em um projeto que une arte, cultura e educação. Segundo as organizadoras, para muitos desses meninos e meninas, a Casa é o único lugar que eles conseguem fazer uma refeição saudável completa. Muitas mulheres que são atendidas pela casa são voluntárias nessas atividades de cuidado com as crianças do bairro. 

Na Casa Cuidado, oferece espaço de formação em arte, cultura, educação para mulheres, meninos e meninas no Parque Paulista. Foto: Mayara Donaria

Para ajudar a costurar esse espaço que se tornou a segunda casa de tantos, outra atividade proposta são as rodas de escuta “costurando histórias, memórias e afetos”. A ideia é valorizar os territórios e seus moradores, para isso, a cada encontro eles convidam um mais velho do bairro para contar sua história e partir disso construir uma oficina.  

“Toda vez que olho para a Dona Marizete eu acho que a gente está no caminho certo. A garra, o entusiasmo e a vontade que ela tem de viver nos anima a pensar e viver em Caxias apesar das dificuldades”, afirmou Cyntia. 

Apesar das riquezas naturais, os moradores da cidade de Duque de Caxias sofrem com a falta de água. Nos momentos mais críticos da pandemia, em que a higienização das mãos era caso de vida ou morte, moradores do Parque Paulista passavam dias sem água mesmo. Foi observando essa situação no seu território que a Cyntia resolveu criar a Casa Cuidado. No dia desta entrevista, os moradores já estavam há mais de uma semana sem água. 

“É uma desigualdade gigante, a  menos de um quilômetro daqui existe uma reserva biológica de água. É uma cidade muito rica com uma população muito empobrecida”, contou a coordenadora do projeto.

Outras Notícias

Download - Mapa da desigualdade

* campos obrigatórios
pulvinar accumsan risus tempus ut suscipit elit. adipiscing quis Praesent mi,