Mesa 8: Território e invisibilidades: lutas pelos direitos indígenas e dos pescadores

Categorias
Sem categoria
Texto por
Comunicação Casa
Data
25 de agosto de 2015

https://youtu.be/SWW6Ch_R3qw

Responsável: Catia Antonia

Reconhecimento do direito dos territórios e dos modos de vida das comunidades e populações tradicionais com ênfase às etnias indígenas e dos pescadores artesanais que vivem na experiência urbana as formas de exclusões de modernização e das políticas ambientais.

Elaboração de seminários, de documentos e de diagnósticos sobre a situação das populações indígenas e dos pescadores artesanais na metrópole do Rio de Janeiro.

Fazer valer as leis de proteção às comunidades e população indígenas e aos pescadores artesanais.

Implementação na área metropolitana do Rio de Janeiro de zoneamentos costeiro, ecológico, pesqueiro e cultural, segundo as legislações de proteção às comunidades e populações tradicionais bem como das populações que sofrem com o modulo de desenvolvimento territorial de destruições da história dos lugares.

Inserir nas comissões de política urbana de metrópole ou observatórios de estudos e de proteção das comunidades tradicionais, tais como o observatório pesqueiro, fóruns de defesa aos pescadores e indígenas, fóruns de defesa da Baía de Guanabara e da baía de Sepetiba.

Outras Notícias

Download - Mapa da desigualdade

* campos obrigatórios
Nullam quis leo. Praesent id nec