De morador para morador, Lab Jaca busca elevar a discussão sobre favelas

Texto por
Luize Sampaio
Data
9 de novembro de 2021

Com a produção de dados e narrativas,  Lab Jaca tem se consolidado como uma rede forte de comunicação, principalmente nas favelas e periferias. Criado na favela do Jacarezinho, na Zona Norte, a organização do time é  100% formada por jovens negros que juntos buscam novas formas de apresentar a realidade de territórios em vuneralibidade social. Valorizando o conhecimento que é gerado nas favelas, o grupo neste semestre tem focado na disseminação de notícias e dados com os projetos Política em 30 e Lab Explica. Conheça o LabJaca em três pontos:

1-Atuação nas redes sociais

Com vídeos curtos de até 30 segundos, o Lab Jaca tem tentado sintetizar em um reels semanal as principais notícias sobre o Brasil. No Política em 30, a proposta é passar pelos principais temas de forma dinâmica e simples para informar e impedir que a fake news seja a única narrativa que chega nas pessoas. Outro quadro é o LAB Explica onde a organização busca abordar pautas urgentes para a sociedade com foco sempre no impacto desses fenômenos nas favelas, entre os temas já discutidos estão o racismo ambiental e o desmonte do censo. 

Representando o time de 11 pessoas, Thiago Nascimento (a esquerda) é responsável pelas relações externas e Bruno Sousa (a direita) é coordenador de comunicação no Lab Jaca.
Foto: Paulo Oliveira/Casa 4

2-  Conversa com território 

O LabJaca é um projeto recente que surgiu durante a pandemia a partir da campanha “Jaca contra o Corona” que atendeu  3.000 famílias em vulnerabilidade social no Jacarezinho. Foi nessa experiência que pesquisadores e comunicadores integrantes da rede de solidariedade começaram a articular um movimento de geração cidadã de dados. Eles afirmam que a criação do laboratório de pesquisa vem da necessidade dos próprios moradores contarem suas histórias já que acreditam que os dados oficiais não condizem com a realidade do território. Por isso, o Lab tem atuado em parceria não só com instituições, mas também em contato com os moradores. A ideia é que dessa união seja possível traçar ações que representam as reais demandas locais que vão enfim desenvolver o território, uma proposta de inversão do cenário atual.

3- Efeito Lab Jaca 

As produções de vídeos apoiadas pelo Fundo Casa se tornaram um dos carros chefes das redes sociais do Jaca. Com mais de 10K visualizações alcançadas de forma organizada em cada um das produções, o Lab Explica consegue unir humor e informação e essa combinação tem conquistado o público, explicou o co-fundador e coordenador de comunicação do projeto, Bruno Souza. Ele explica que os vídeos marcam uma nova fase do Lab Jaca e que podem ser ainda mais estratégicos para disseminar temas importantes e combater as fake news em 2022, ano eleitoral. 

“Esse é o momento chave para a gente consolidar esse tipo de conteúdo que atinge um público jovem que está nas redes sociais e que também estará presente nas votações em 2022, já exercendo os  seus direitos como cidadão. É importante que ele esteja atento ao que está acontecendo no país e na sua cidade.  É sensacional também ver esse material chegando até pessoas que não são do mundo acadêmico, pessoas que estão fora dessas rodas de discussão e que às vezes não sabem para que serve o IBGE ou a importância daqueles dados, mas  acabou descobriu a partir do vídeo que soltamos”, afirmou Souza.

O último Lab Explica sobre Racismo Ambiental foi apoiado pelo Fundo Casa Fluminense. Assista aqui.

Acompanhe a produção do Lab Jaca nas redes:

https://www.labjaca.com/

https://www.instagram.com/LabJaca/

https://twitter.com/LabJaca/

Outras Notícias

Download - Mapa da desigualdade

* campos obrigatórios
felis libero id, Praesent ipsum commodo sit