Retrospectiva 2017 – Casa Fluminense

Categorias
Texto por
Aline Souza
Data
19 de dezembro de 2017

O ano de 2017 parece não querer terminar, mas também pudera! Foram tantas turbulências e vivências que fica até difícil imaginar tudo em um ano só. Ao longo desse percurso a Casa Fluminense concentrou esforços no acompanhamento de políticas públicas para uma maior incidência e a criação de uma cultura de monitoramento na sociedade civil fluminense.

O ano também foi marcado pelo início de uma aproximação com as gestões municipais na metrópole. Houve um marco no quesito inserção na mídia, com mais de 60 aparições em jornais, TVs e rádios pautando temas como o Plano Estratégico do Rio e a mobilidade urbana.

Cultura de Monitoramento

Seminário de Planejamento e Cooperação Municipal – IAB /Rj

Iniciamos o ano planejando com os parceiros a jornada que viria a seguir. Em março já estávamos inseridos em debates sobre Plano de Metas dos municípios e realizamos o monitoramento de Niterói (fotos). Em abril lançamos o Painel de Monitoramento

Painel de Monitoramento
durante o Seminário de Planejamento e Cooperação Intermunicipal. Ele traz informações que são instrumentos de Gestão Municipal no Rio de Janeiro metropolitano, algo que ajuda na qualificação de políticas públicas dos 21 municípios.

Curso de Políticas Públicas e Agenda 2030

Segunda turma do Curso de Políticas Públicas

Em maio demos início à segunda turma do Curso de Políticas Públicas que contou com a participação de 45 alunos de diferentes territórios da metrópole. Foram 587 inscritos no total, de onde saiu uma turma heterogênea, representada por 18 municípios da metrópole fluminense que podem compartilhar os saberes discutidos na sala de aula metrópole a fora. Em julho sediamos o lançamento local do Relatório Luz da Sociedade Civil sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). O evento foi organizado em parceria com Action Aid – Brasil, Ibase, Igarapé e Rede Brasileira de População em Desenvolvimento (Rebrapd), organizações que fazem parte do Grupo de Trabalho que elaborou o documento.

Diálogos no Rio Inteiro

Público presente na mesa de abertura do 9º Fórum Rio

Em junho realizamos o 9º Fórum Rio em São João do Meriti, com uma proposta de ampliar o debate sobre políticas públicas entre os múltiplos atores sociais da metrópole, realizado em parceria com a primeira edição do Virada Sustentável Rio 2017. Os temas versaram sobre a nova agenda urbana e as metas globais com vistas à promoção do desenvolvimento sustentável — presentes nos 17 ODS das Nações Unidas, principalmente segurança pública, mobilidade urbana, resíduos sólidos e saneamento básico, áreas de conservação e parques públicos, cultura de monitoramento da sociedade civil e de empreendedorismo social.

 

Reunião para entrega dos 12 pontos prioritários para a Prefeitura do Rio

E olha que isso foi apenas até a metade do ano! Ainda em julho iniciamos o monitoramento e incidência para o Plano Estratégico do Rio realizando oficinas com parceiros para analisar o documento, além de participar de audiências públicas e reuniões com a administração municipal realizada no mês de setembro. Naquela ocasião foi entregue pelo Meu Rio a impressão de 2.400 assinaturas de pessoas que acessaram a plataforma www.metasprorio.meurio.org.br para apoiar os #12PontosPrioritarios para a cidade, após a realização de uma ação de rua para incluir a população nesse processo.

Mobilidade Urbana – transporte público é direito

 

Ainda em setembro, convidamos nossos parceiros locais para participar conosco do projeto MOBCidades – Orçamento e Direitos, focado em pensar novas estratégias de monitoramento e controle social para a mobilidade urbana no Rio de Janeiro. Com o apoio financeiro da União Europeia e metodologia do Inesc – Instituto de Estudos Socioeconômicos, o projeto fortalece e fomenta a participação social na gestão da mobilidade urbana, com foco na garantia do direito à cidade e ao transporte, por meio do monitoramento do orçamento e da criação de políticas públicas transparentes, capazes de assegurar a efetiva democratização dos espaços públicos. Ao todo participam 50 organizações de 10 cidades integrantes da Rede Social Brasileira por Cidades Justas, Democráticas e Sustentáveis.

 

Na ocasião realizamos a primeira oficina com os jovens comunicadores selecionados na 1ª Chamada Pública para o Edital Fundo Casa com o tema da mobilidade urbana. Durante o período de setembro a dezembro os grupos participantes estiveram envolvidos com as pesquisas de campo e de dados acerca do transporte público nos territórios. As primeiras séries de reportagens já estão publicadas e os curtas-metragens tiveram sua estreia no dia 9 de dezembro, durante a programação do 13º Circulando – Rolébilidade no Complexo do Alemão, integrando também a programação do Festival Leopoldina Orgânica. Foram exibidos os filmes Mototáxi do Azul – FAVELA EM FOCO- Coletivo Multimídia; Sobre dormentes, estamos acordadas – Facção Feminista Cineclube; Bilhete – Wesley Brasil e Conversa Afiada – Instituto Raízes em Movimento.

Confira as fotos da estreia aqui

Trocando Experiências em ODS

 

Importante ressaltar o lançamento em outubro do Caderno de Experiências de Territorialização, Monitoramento e Incidência dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável – ODS, uma parceria entre a Casa Fluminense, membro da SDSN Brasil, com a GIZ. A publicação apresenta 6 passos fundamentais para a implementação dos ODS nas Regiões Metropolitanas e 30 experiências espalhadas na região metropolitana do Rio de Janeiro e nos estados da Bahia, Minas Gerais e São Paulo focadas no ODS 11.

Convergências para 2018

10º Fórum Rio no Galpão Ação da Cidadania

Já nos aproximando do fim deste ciclo anual, fechamos o ano com o 10º Fórum Rio, um evento que reuniu cerca de 500 pessoas no Galpão Ação da Cidadania atendendo ao convite feito de formar convergências para 2018 no desafio de pautar as prioridades da metrópole no debate público eleitoral. Lá ocorreu o lançamento do Painel do Legislativo, uma plataforma amigável para acessar a produção legislativa da ALERJ no período 2015 a setembro de 2017, tendo como base principal os eixos da Agenda Rio e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Podemos dizer que a décima edição foi um marco na história de realização do evento que incluiu debates, oficinas, cineclube e apresentações culturais. Ao todo foram 20 atividades simultâneas, distribuídas em locais que relembraram as antigas estações de trem metropolitanos e que atenderam ao lema oficial do evento – a redução das desigualdades territoriais.

Queremos agradecer a todos que nos acompanham e convidá-los para fazer parte de nosso trabalho nos desafios que virão. Vamos juntos em 2018!!

 

Painel de Monitoramento

Conheça o projeto

Outras Notícias